/MPCE divulga ranking das empresas mais reclamadas no Ceará

MPCE divulga ranking das empresas mais reclamadas no Ceará

O Programa Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor (DECON) tornou público na tarde desta segunda-feira (12/03) o ranking das empresas mais reclamadas no Ceará, durante coletiva de imprensa na Escola Superior do Ministério Público (ESMP). O evento marcou o início das atividades da Semana do Consumidor que promoverá diversas atividades gratuitas aos cidadãos e demais interessados no tema. O Cadastro de Reclamações Fundamentadas de 2017 reúne um balanço com o ranking das empresas mais reclamadas e das que menos resolvem as queixas dos consumidores, o índice de resolutividade e os 10 principais assuntos e áreas.

De 1º de janeiro a 31 de dezembro de 2017, o DECON realizou 24.593 atendimentos por diversos meios: presencialmente na sede do órgão, através de carta, ofício e no site do Sistema Nacional de Informações de Defesa do Consumidor (Sindec). Destas, 18.073 foram resolvidas sem a necessidade de marcação de audiência de conciliação com a empresa. Das 6.516 reclamações que foram oficializadas, 84,7% (5.518) foram atendidas após ação do órgão consumerista.

Segundo a secretária-executiva do DECON, promotora de Justiça Ann Celly Sampaio, a divulgação destes dados provocam reações por parte das empresas que são extremamente benéficas para os consumidores. “As empresas sabem do impacto negativo para a imagem e para as vendas quando ela figura do topo, com o maior número de reclamações. Especialmente em momentos de crise, agradar o consumidor é uma prioridade. Por isso, logo após a divulgação do nosso cadastro muitas empresas nos procuram para dar agilidade e resolutividade às queixas”, explica a gestora do órgão.

Ela reforça, ainda, que o mais importante é que o consumidor nunca desista de buscar os seus direitos. “Temos orgulho de apresentar um índice altíssimo de respostas positivas para o consumidor sem a necessidade de oficializar a reclamação, com 73%, e mesmo quando é necessário oficiar a empresa o índice sobe para 84%. Então, o consumidor consegue, sim, garantir os seus direitos quando vai atrás. E acredito que estamos conseguindo o nosso objetivo, que é instaurar uma nova cultura nos consumidores cearenses, de buscar a garantia dos seus direitos e contando com o DECON como principal parceiro”, comemora Ann Celly.

Nas áreas mais reclamadas pelos consumidores, os setores que ocuparam os primeiros lugares foram: assuntos financeiros (26,3%); produtos (25,4%); serviços essenciais (24,1%); serviços privados (11,2%); e habitação (3,2%). As empresas contra as quais os consumidores mais reclamaram foram: 1ª) Oi Móvel S/A (346); 2ª) Telemar Norte Leste (344); 3ª) Cagece (292); 4ª) Companhia Energética do Ceará (203); 5ª) TIM Celular (180); 6ª) Caixa Econômica Federal (164); 7ª) Telefônica Brasil S/A (154); 8ª) TAM Linhas Aéreas (133); 9ª) Sky Brasil Serviços (122); 10ª) Claro S/A (116).

Deixe Sua Mensagem