/Ciro: entre uma esquerda corrompida e uma direita fascista vamos apresentar um projeto diferente

Ciro: entre uma esquerda corrompida e uma direita fascista vamos apresentar um projeto diferente

Em uma live no Facebook, na noite desta terça-feira (04/12), Ciro Gomes (PDT) bateu no Partido dos Trabalhadores, disse que é preciso esperar a lua de mel do governo Bolsonaro (PSL) para fazer juízo de valor de seu governo, porém, está consciente de sua escolha. ” Entre uma esquerda corrompida e uma direita fascista, o povo preciso que alguém apresente um projeto diferente para o País. E estou me propondo a realizar essa tarefa com muito amor e muita devoção, disse Ciro.

O pedetista ainda teceu comentários sobre os superministérios de Jair Bolsonaro. Segundo ele, o desenho não é muito animador. Bolsonaro está figurando como animador de auditório, enqunto delega poderes a quem não foi legitimado pelas urnas. Para ele, o juiz Sérgio Moro, ainda não veio a público e não deu se quer uma palavra sobre Segurança Pública.

Ciro também criticou a saída dos médicos cubanos por causarem um grande prejuízo na vida das pessoas mais pobres e que ficarão sem assistência básica. ” Bolsonaro fez isso por pura mesquinharia ideológica,” destacou Ciro. Ao ser indagado sobre a solução do problema, ele ressaltou que é preciso ampliar o número de profissionais formados no Brasil e criar uma carreira para essa categoria, a exemplo do que já se faz no Judiciário com os novos Juízes, eles passam um período no interior e posteriormente vão sendo promovidos até chegarem as capitais.

Quando perguntado por internautas sobre sua nova relação com o PT, Ciro desabafou:“ o PT meteu dinheiro na campanha, meteu fake news na internet, grupos de WhatsApp contra mim e  não contra o Bolsonaro. Fizeram o diabo comigo. Me elegeram como adversário. Chantageou o PCdoB para tirar a Manuela, sacrificaram o Márcio Lacerda e a Marília Arraes para obter uma neutralidade do PSB. Para não me dar tempo para falar”, destacou Ciro.

Ainda em relação ao Partido dos Trabalhadores, Ciro finaliza dizendo: “entre o fascismo e a corrupção que a cúpula do PT representa optei por sair. Enquanto essa cúpula do PT estiver dando as cartas, não contem comigo”.

 

 

 

Deixe Sua Mensagem